quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Dicas para lixar madeira



O lixamento é uma etapa do acabamento que a maior parte dos marceneiros e hobbistas não pensam a respeito. Simplesmente faz parte do trabalho. Pode ser bastante tedioso, certamento é empoeirado e quase sempre cansativo. Mas é o lixamento que cria a superfície final de todo o projeto.

Dito de forma simples e direta, o lixamento que é bem feito, ou não, valoriza ou acaba com todo o trabalho. É a preparação da superfície da madeira, mais do que qualquer outra etapa do trabalho, que determina a qualidade da peça. Algumas dicas simples ajudam a reduzir o trabalho de lixar.

Objetivo


Antes de começar qualquer trabalho, é uma boa idéia ter um objetivo. E o lixamento não é exceção. Seu objetivo é simples mas muito importante: você quer uniformizar e refinar a superfície da madeira para que, quando o acabamento for aplicado, toda a peça apresente o seu melhor visual. A beleza da madeira deve aparecer, os contornos devem ser lisos, nenhuma marca de cola pode aparecer, ao passar os dedos sobre as juntas da madeira eles devem deslizar sem sentir nada.

Ferramentas simples


As lixadeiras elétricas - de cinta, orbitais, vibratórias - são excelentes para realizar o trabalho inicial, mais pesado. Mas no lixamento final nada substitui a folha de lixa e a força do braço.

Quando lixar uma superfície plana e uniforme, como um tampo de mesa, utilize um taco lixador para apoiar a folha de lixa. Usar o taco ajuda a criar superfícies mais planas e mantê-las assim. Um pouco de acolchoamento duro - uma espuma ou borracha - entre o taco e a lixa faz uma enorme diferença. Ele forma pequenos espaços em que o pó gerado se acumula e pode ser removido da parte de baixo do taco. A lixa não vai empastar tão rápido e também não risca a madeira com pedaços de pó.

Dedos


A segunda ferramente importante no lixamento é o dedo. Algumas vezes uma folha de lixa dobrada e enrolada em um ou dois dedos é o único jeito de lixar um canto mais difícil, um espaço entre duas peças ou alisar as marcas da tupia nas bordas da peça. É bastante simples, mas não há nada melhor.

Os dedos são importantes para mais um coisa: eles podem ser melhores juízes do trabalho que os olhos. Em funilaria de carro se diz que se os dedos não sentem você não pode ver. Se você passa os dedos sobre as juntas da madeira e não pode senti-las, pode estar certo de que com o acabamento elas estarão bonitas.

Boa iluminação


É difícil fazer um bom trabalho se você não pode ver o que está fazendo. E olhe para o seu trabalho de diversos ângulos, pois às vezes o defeito só aparece quando visto de um ponto diferente. Se não estiver seguro da qualidade do trabalho, espalhe um pouco de solvente sobre a madeira com um pano. Com uma boa iluminação, o solvente úmido dá uma boa percepção de como ficará o acabamento, sem levantar o grão da madeira.

Comece cedo


Não espere que toda a peça esteja montada para começar o lixamento. Logo depois de cortá-las no tamanho certo, comece a lixar. É apenas mais uma etapa da montagem. E quando ele se encaixa no fluxo de trabalho, o resultado no final é muito melhor. Comece eliminando as marcas de cortes e imperfeições grandes da superfície da madeira antes de começar a montagem da peça. Você estará trabalhando com a peça quase em seu estado final, e as colagens serão bem mais precisas.

A seqüência correta


Às vezes é preciso ser agressivo para poupar trabalho. Evite começar o trabalho com lixas de grana fina. Utilize as lixas 80, 100 ou 120, com elas o trabalho anda muito mais rápido.

Pode parecer bastante simples, mas a chave desta forma de trabalho é começar com lixas grossas e ir passar para as mais finas. Comece com grana 100, e o próximo passo pode ser a grana 150. Quando você tiver uma superfície consistente, passe para a grana 220. Começando com a grana 80, vá para a 120 e depois para 180.

Pense antecipadamente


Lixe os pontos de difícil acesso antes de montar a peça. E deixe-os prontos para receber o acabamento. Isto economiza muito tempo e evita frustrações.

Consistência


Trate todas as partes de forma igual para obter um excelente acabamento. Não 'pule' uma grana de lixa na escala do trabalho, ou dê o trabalho com uma grana por acabado antes de ficar satisfeito com o resultado. Especialmente os acabamentos mais finos, como óleo e cera, entregam estas falhas.

Isto também é importante se a madeira vai ser tingida. Partes mais ásperas geralmente ficam mais escuras, porque a madeira absorve mais pigmento. O tingimento manchado pode ser resultado direto de um lixamento inadequado. Se for tingir a madeira lixe um pouco mais fino nos 'topos' das peças, lugar em que a madeira tem tendência de absorver mais pigmento, para deixar a cor mais uniforme.

Quando parar


O lixamento final depende do tipo de acabamento que será aplicado. Se a madeira vai ser pintada, acabar o trabalho com grana 120 ou 150 é bastante razoável. Para um acabamento transparente como verniz ou goma laca, a grana 180 é um bom ponto de parada. Se o acabamento é bastante fino, como óleo ou cera, deve-se pensar em pelo menos ir até a grana 220. Outros acabamentos especiais podem exigir lixamento muito mais minucioso.

Fonte: Iron fittings